buscado recentemente


Artlife

Gina Castelo Branco


Conheça um importante espaço cultural em Teresina: Espaço Arco


Hello! How are you? Hoje vamos falar sobre um importante espaço para a arte em Teresina: O Espaço Arco. Localizado no espaço Rosa dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí (UFPI), ele abriga diversas manifestações de Arte produzidas por membros da comunidade acadêmica. O espaço foi aberto em 2015 pelas professoras do curso de Artes Visuais Adriana Galvão e Neila Rocha, com a ideia de expor ao público os trabalhos produzidos pelos alunos de Artes Visuais da UFPI durante o Salão do Livro do Piauí – SALIPI.

Antes um projeto do curso de Artes Visuais, hoje o ARCO abriga a arte de alunos de vários cursos , de professores e de servidores da universidade. A ideia é integrar, unir a arte de cada um, em vários estilos, pensamentos e modos de executar suas criações e não limitar apenas a mostrar as produções de quem é estudante da área. Hoje, o Espaço ARCO representa essa pluralidade de manifestações artísticas. Por essa razão, o espaço é nomeado como um local de conexões artísticas.

prof-adriana-e-neila
As professoras Neila Rocha e Adriana Galvão, que idealizaram o Espaço ArCo (Foto: Reprodução - ufpi.br)

 

A maior visibilidade do local ocorre durante o SALIPI. Maior evento literário do Piauí, o SALIPI também acontece no Espaço Rosa dos Ventos da UFPI, de forma que o Espaço ARCO se integra ao evento, recebendo centenas de visitantes por dia, dentre alunos de escolas, amantes da leitura e outras pessoas que visitam o evento. Assim, o SALIPI e o Espaço ARCO representam um lindo encontro entre a literatura e as Artes Visuais.

Além de um belíssimo local a ser visitado, o ARCO também tem um papel educativo essencial, representando um passo importante para os alunos de Artes Visuais da UFPI. Dentro do local, eles atuam como monitores, passando informações sobre as obras e conhecimentos sobre Arte para os visitantes. Assim, o local é não apenas de apreciação e valorização das obras de arte, mas também de troca de aprendizados e de enriquecimento do saber sobre a arte.

obra-espaco-arco
O local reúne o trabalho de alunos, professores e funcionários da UFPI (Foto: Reprodução ufpi.br)

 

Atualmente o Espaço ARCO fica aberto às sextas-feiras, integrando a Feira Agroecológica e Cultural que acontece no Espaço Rosa dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí. Vamos apoiar e prestigiar esse importante espaço de valorização artística e conhecimento que surge para dar mais força ao cenário cultural de Teresina. Que tal uma visita ao Espaço Arco?

Estas são as dicas de hoje:

20º Festival de Dança de Teresina: de 12 a 15 de outubro às 16h no Theatro 4 de Setembro.

Exposição Crescer com Arte, obras de artistas mirins do Atelier Luciana Severo Kids: até o dia 26 de outubro na Montmartre Arte e Galeria.




Valorizando a arte produzida em Teresina: exposição Arte e Vinho


Salut! Como estão? É sempre uma alegria contar a vocês sobre uma nova exposição da Montmartre Arte e Galeria. Após o sucesso da Primeira Mostra Internacional de Arte, nada melhor do que uma mostra para valorizar os artistas que produzem em Teresina e tanto contribuem com nossa galeria. Foi visando divulgar o trabalho dos nossos artistas que surgiu a ideia da exposição Arte & Vinho, que teve seu Vernissage no último dia 21 e contou com obras de mais de 30 artistas expondo vários estilos e técnicas.

arte-e-vinho
O Vernissage proporcionou um bate papo entre artistas e público (Foto: Arquivo pessoal)

O nome Arte & Vinho se deu pela ideia de unir na noite do Vernissage a arte, o vinho e o ambiente de conversa entre artistas, arquitetos, designers e jornalistas. Esses profissionais foram os convidados especiais do evento por terem o seu trabalho ligado à arte, sendo de grande importância apresentá-los os novos artistas que surgem em Teresina, assim como apreciar a arte de nomes de grande visibilidade, que também fazem parte da exposição. São diversas formas de expressão da arte: a pintura de artistas de diferentes gerações, a escultura, a fotografia e ainda lindas peças como o mobile de Fátima Campos e as luminárias de Angelo Brambila.

peças-arte-e-vinho
Um dos espaços da exposição Arte e Vinho na Montmartre (Foto: Arquivo pessoal)

 O Vernissage da exposição contou com a ilustre presença da vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho, que conversou com os artistas e convidados, além de apreciar toda a arte distribuída pelos espaços da Montmartre. No momento de agradecimentos do evento em que eu e os outros artistas participantes pudemos dizer algumas palavras sobre a exposição, a vice-governadora também fez uma fala importante a respeito da democratização da arte e de iniciativas de exposições que valorizem os artistas locais.

gina-e-vice-governadora
Com a Vice-governadora Margarete Coelho durante sua fala no Vernissage (Foto: Arquivo pessoal)
gina-margarete-coelho
Foi um prazer receber a Vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho (Foto: Arquivo pessoal)

Foi uma alegria imensa poder realizar essa exposição com o envolvimento de tantos artistas que admiro e que significam muito para a arte em Teresina e em todo o estado. A exposição Arte & Vinho fica até o dia 3 de outubro na Montmartre, em três espaços voltados ao puro amor à arte produzida em Teresina. Espero vocês para conferir as obras e respirar arte conosco!

artistas-arte-e-vinho
O Vernissage reuniu importantes artistas que produzem em Teresina (Foto: Arquivo pessoal)

Vamos às dicas de hoje?

Na Montmartre até o dia 3 de outubro: Exposição Arte e Vinho e a Primeira Mostra Internacional de Arte.

Exposição “Desmobília”, de Cícero Manoel: Até o dia 20 de outubro no Terra Siena Galeria de Arte.




As contribuições de Fayga Ostrower para a Arte


Hello! How are you? Hoje vamos falar sobre uma figura muito importante para o mundo das artes: Fayga Ostrower. É sempre um prazer falar sobre mulheres na Arte e suas contribuições. Pintora, desenhista, gravadora, ilustradora, teórica da arte e professora, Fayga Ostrower nasceu na Polônia em 1920 e veio para o Brasil em 1934, onde cursou Artes Gráficas na Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Artista de enorme versatilidade e um acervo grandioso, Fayga passou pelo abstracionismo no início dos anos 1950, trabalhou com aquarela e expressou sua arte também em xilogravura e gravuras em metal. Em seus trabalhos com gravura, Fayga representou figuras femininas, muitas relacionadas à maternidade.

maternidade-fayga
Maternidade, 1950, linóleo sobre papel (Imagem: Reprodução)

 

É importante ressaltar a contribuição de Fayga Ostrower para a educação artística e disseminação de conhecimentos sobre as artes. Além de ter vários livros publicados, artista realizou cursos para operários e centros comunitários assim como palestras em universidades no Brasil e no exterior. Foi presidente da Associação Brasileira de Artes Plásticas entre 1963 e 1966. Na xilogravura, Fayga tem um vasto trabalho, explorando em suas obras a força das cores, como nesta obra:

xilogravura-fayga
Composição abstrata, xilogravura sobre papel, 1957, 21 x 49,5 cm (Imagem: Reprodução)

 

A artista realizou gravuras figurativas com linguagem expressionista e temas sociais, como Lavadeiras (1947):

lavadeiras-fayga
Lavadeiras, 1947 (Imagem: Reprodução)

 

Fayga participou de centenas de exposições, entre individuais e coletivas e recebeu importantes prêmios como o Grande Prêmio Nacional de Gravura da Bienal de São Paulo (1957) e o Grande Prêmio Internacional da Bienal de Veneza (1958)

No mês de setembro relembramos o falecimento dessa importante artista, estudiosa das artes e educadora, certamente uma forte representação feminina na Arte. Fagya Ostrower falaceu em 13 de setembro de 2001, no Rio de Janeiro.

No site do Instituto Fayga Ostrower, destinado à preservação de sua obra, é possível encontrar informações sobre a artista e uma variedade enorme de seus trabalhos, organizados pelo ano de criação. Vale a pena conferir clicando aqui

Vamos às dicas de hoje?

Você encontra obras de Fayga Ostrawer nos locais listados neste endereço: http://faygaostrower.org.br/museus

Montmartre Arte e Galeria reúne obras de mais de 30 artistas que produzem em Teresina: a exposição Arte&Vinho vai até o dia 3 de outubro.

 




Vamos falar sobre pinturas gigantes?


Salut! Como estão? No post de hoje iremos viajar para diversos lugares para conhecer as maiores pinturas pelo mundo! Grandiosas não apenas pela sua técnica, essas pinturas se destacam por serem feitas em superfícies gigantes, levando a arte para além das telas. Hoje trago para vocês três formas diferentes de grandes pinturas.

E por que não começar falando de Michelangelo? Afinal, temos um exemplo de arte grandiosa, no trabalho feito pelo pintor na Capela de Sistina do Vaticano. Uma das maiores obras de arte da história, os afrescos de Michelangelo levaram quatro anos (1508-1512) para serem pintados e até hoje impressionam a todos pela beleza e grandiosidade. Afresco é uma técnica em que a pintura é feita sobre uma argamassa de cal e areia. Michelangelo era em primeiro lugar escultor, mas aceitou o pedido do Papa Julio II, este um apaixonado pelas artes. Assim, Ele pintou praticamente sozinho 680 metros quadrados para decorar a Capela de Sistina. O resultado a história nos mostra: são 5 milhões de visitantes por ano, para ver as belíssimas imagens bíblicas pelas mãos e criatividade de Michelangelo.

A arte na Capela Sistina atrai milhões de pessoas por ano (Imagem: Reprodução) 

 Outra forma de se encontrar enormes pinturas são os painéis. Aqui destaco os painéis “Guerra e Paz”, do pintor brasileiro Cândido Portinari.  As obras ficam na sede das Nações Unidas, em Nova York e tem aproximadamente 14m x 10m. O primeiro painel se refere à guerra, o sentimento das pessoas nesses momentos de sofrimento, utilizando cores sóbrias, dando um aspecto mais sombrio. O segundo se destina à paz, retratando a tranquilidade e a alegria com tons claros e amenos, contrastando com a guerra. Os painéis foram pintados em nove meses e teve quatro anos de estudos preparatórios.

Os painéis Guerra e Paz, de Cândido Portinari (Imagem: Reprodução)

Pinturas gigantes são muito famosas por também se encontrarem nas ruas. É o chamado Street Art. Além de grandes painéis e pinturas feitas em prédios e outras construções, no Street Art podemos ainda encontrar outra característica fantástica: a pintura em 3D. Feitas em locais públicos, essas pinturas possuem uma técnica tão fascinante que consegue “enganar” a visão daqueles que as observam, trazendo parte de um mundo diferente para as ruas de uma cidade. Não tem como não parar para olhar de perto. Muitas dessas pinturas podem ser encontradas no site Street Art Utopia, um projeto que reúne fotos de grandes pinturas que podem ser encontradas nas ruas do mundo inteiro.

As pinturas 3D em ruas impressionam a qualquer pessoa que passa (Imagem: Reprodução)

Aqui no Brasil, o artista paulista Eduardo Kobra é responsável por criar incríveis pinturas em muros e edifícios, tem murais imensos espalhados por mais de 20 países. Hoje ele é dono do recorde de maior mural do mundo pintado por um único artista: 2,6 mil metros quadrados. A obra fica no Brasil e foi pintada especialmente para as Olimpíadas do Rio 2016. A obra foi pintada em 40 dias e fica no Boulevard Olimpico, no Rio de Janeiro, como já comentamos aqui no Artlife (confira aqui).

Mural de Eduardo Kobra no Rio de Janeiro (Imagem: Reprodução)

Como dica de hoje, recomendo a todos conferirem a palestra da historiadora Elizabeth Lev sobre a Capela Sistina, clicando aqui 

Museu do Piauí – Casa de Odilon Nunes participa da 11ª Primavera dos Museus – Programação de 20 a 22 de setembro.

Exposição Arte&Vinho, com 28 artistas que produzem em Teresina. De 22 de setembro a 3 de outubro na Montmartre Arte e Galeria




Conhecendo o Art Nouveau


Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)Detalhes da casa-estúdio de Victor Horta (Imagem: Reprodução)Hello! How are you? O assunto de hoje é Art Nouveau, um estilo artístico que se desenvolveu entre 1980 e a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). O termo é francês e significa “arte nova”. Difundido principalmente na Europa, o Art Nouveau posteriormente se tornou internacional. Mas em que consiste esse estilo? Ele surgiu com a busca de adequar a arte às mudanças trazidas pela sociedade industrial na época. Dessa forma, ele trabalhava a massificação da arte com os processos industriais, a valorização do conhecimento racional e a oposição ao historicismo.

É importante destacar que o Art Nouveau se desenvolveu bastante na arquitetura, no design, nas artes decorativas e em áreas como a produção de móveis. Destaca-se o uso de materiais como o cimento, o vidro, e o ferro, por exemplo. Como características do estilo temos o uso das expressões sentimentais, temas ligados à natureza e a figura feminina sendo representada na arte, como no trabalho de Alfons Maria Mucha, pintor, designer e ilustrador checo, um dos principais representantes do Art Nouveau. A representação da mulher é forte em suas obras.

Princesse Hyacinthe– Alfons Maria Mucha - 1911 (Imagem: Reprodução)


O pioneiro do Art Nouveau na arquitetura foi o projetista e arquiteto belga Victor Horta. Ele serviu de influência para muitos arquitetos na época. Ele utilizava em seus interiores materiais característicos do estilo que citamos anteriormente, como o vidro, o ferro e a madeira.

Detalhes da casa-estúdio de Victor Horta (Imagem: Reprodução)


No Brasil, o Art Nouveau é representado principalmente na arquitetura e na pintura decorativa. O edifício Vila Penteado, localizado na cidade de São Paulo, é um dos maiores símbolos do Art Nouveau no Brasil, projetado pelo arquiteto sueco Carlos Ekman (1866-1940). Construído em 1902 para duas famílias importantes na época, hoje o edifício pertence à Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo (USP)

Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)


Outra manifestação de Art Nouveau está presente nas charmosas entradas do Metrô de Paris, desenvolvidas nesse estilo pelo arquiteto francês Hector Germain Guimard (1867-1942). A arquitetura é inspirada em elementos na natureza e ele faz o uso de telhados de vidro em algumas das entradas.

Art Nouveau nas entradas de metrô em Paris (Imagem: Reprodução)

Muitas das entradas de metrô em Paris preservam esse estilo até hoje, e ele pode ser encontrado também em Montreal, no Canadá, pois uma entrada feita por Hector Germain Guimard foi doada de Paris para aquela cidade.

Vamos às nossas dicas de hoje!

Primeira Mostra Internacional de Arte, na Montmartre Arte e Galeria. A exposição tem entrada gratuita e vai até o dia 25 de setembro.

Casa da Cultura de Teresina recebe a exposição "Teresina Réa Feia", de autoria do artista plástico Avelar Amorim. São 30 aquarelas sendo expostas com o intuito de valorizar a cidade de Teresina. A exposição é aberta ao público e vai até o dia 30 de setembro.





Veja mais
Gina Castelo Branco

Sou formada em Letras/Inglês (UESPI) e em Direito (NOVAUNESC), apaixonada pela arte desde a infância e no meu íntimo sempre acreditei plenamente em minha capacidade pintar... Leia mais.


16 de Outubro de 2017 às 14:54

Conheça um importante espaço cultural em Teresina: Espaço Arco


Hello! How are you? Hoje vamos falar sobre um importante espaço para a arte em Teresina: O Espaço Arco. Localizado no espaço Rosa dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí (UFPI), ele abriga diversas manifestações de Arte produzidas por membros da comunidade acadêmica. O espaço foi aberto em 2015 pelas professoras do curso de Artes Visuais Adriana Galvão e Neila Rocha, com a ideia de expor ao público os trabalhos produzidos pelos alunos de Artes Visuais da UFPI durante o Salão do Livro do Piauí – SALIPI.

Antes um projeto do curso de Artes Visuais, hoje o ARCO abriga a arte de alunos de vários cursos , de professores e de servidores da universidade. A ideia é integrar, unir a arte de cada um, em vários estilos, pensamentos e modos de executar suas criações e não limitar apenas a mostrar as produções de quem é estudante da área. Hoje, o Espaço ARCO representa essa pluralidade de manifestações artísticas. Por essa razão, o espaço é nomeado como um local de conexões artísticas.

prof-adriana-e-neila
As professoras Neila Rocha e Adriana Galvão, que idealizaram o Espaço ArCo (Foto: Reprodução - ufpi.br)

 

A maior visibilidade do local ocorre durante o SALIPI. Maior evento literário do Piauí, o SALIPI também acontece no Espaço Rosa dos Ventos da UFPI, de forma que o Espaço ARCO se integra ao evento, recebendo centenas de visitantes por dia, dentre alunos de escolas, amantes da leitura e outras pessoas que visitam o evento. Assim, o SALIPI e o Espaço ARCO representam um lindo encontro entre a literatura e as Artes Visuais.

Além de um belíssimo local a ser visitado, o ARCO também tem um papel educativo essencial, representando um passo importante para os alunos de Artes Visuais da UFPI. Dentro do local, eles atuam como monitores, passando informações sobre as obras e conhecimentos sobre Arte para os visitantes. Assim, o local é não apenas de apreciação e valorização das obras de arte, mas também de troca de aprendizados e de enriquecimento do saber sobre a arte.

obra-espaco-arco
O local reúne o trabalho de alunos, professores e funcionários da UFPI (Foto: Reprodução ufpi.br)

 

Atualmente o Espaço ARCO fica aberto às sextas-feiras, integrando a Feira Agroecológica e Cultural que acontece no Espaço Rosa dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí. Vamos apoiar e prestigiar esse importante espaço de valorização artística e conhecimento que surge para dar mais força ao cenário cultural de Teresina. Que tal uma visita ao Espaço Arco?

Estas são as dicas de hoje:

20º Festival de Dança de Teresina: de 12 a 15 de outubro às 16h no Theatro 4 de Setembro.

Exposição Crescer com Arte, obras de artistas mirins do Atelier Luciana Severo Kids: até o dia 26 de outubro na Montmartre Arte e Galeria.




16 de Outubro de 2017 às 10:27

Valorizando a arte produzida em Teresina: exposição Arte e Vinho


Salut! Como estão? É sempre uma alegria contar a vocês sobre uma nova exposição da Montmartre Arte e Galeria. Após o sucesso da Primeira Mostra Internacional de Arte, nada melhor do que uma mostra para valorizar os artistas que produzem em Teresina e tanto contribuem com nossa galeria. Foi visando divulgar o trabalho dos nossos artistas que surgiu a ideia da exposição Arte & Vinho, que teve seu Vernissage no último dia 21 e contou com obras de mais de 30 artistas expondo vários estilos e técnicas.

arte-e-vinho
O Vernissage proporcionou um bate papo entre artistas e público (Foto: Arquivo pessoal)

O nome Arte & Vinho se deu pela ideia de unir na noite do Vernissage a arte, o vinho e o ambiente de conversa entre artistas, arquitetos, designers e jornalistas. Esses profissionais foram os convidados especiais do evento por terem o seu trabalho ligado à arte, sendo de grande importância apresentá-los os novos artistas que surgem em Teresina, assim como apreciar a arte de nomes de grande visibilidade, que também fazem parte da exposição. São diversas formas de expressão da arte: a pintura de artistas de diferentes gerações, a escultura, a fotografia e ainda lindas peças como o mobile de Fátima Campos e as luminárias de Angelo Brambila.

peças-arte-e-vinho
Um dos espaços da exposição Arte e Vinho na Montmartre (Foto: Arquivo pessoal)

 O Vernissage da exposição contou com a ilustre presença da vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho, que conversou com os artistas e convidados, além de apreciar toda a arte distribuída pelos espaços da Montmartre. No momento de agradecimentos do evento em que eu e os outros artistas participantes pudemos dizer algumas palavras sobre a exposição, a vice-governadora também fez uma fala importante a respeito da democratização da arte e de iniciativas de exposições que valorizem os artistas locais.

gina-e-vice-governadora
Com a Vice-governadora Margarete Coelho durante sua fala no Vernissage (Foto: Arquivo pessoal)
gina-margarete-coelho
Foi um prazer receber a Vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho (Foto: Arquivo pessoal)

Foi uma alegria imensa poder realizar essa exposição com o envolvimento de tantos artistas que admiro e que significam muito para a arte em Teresina e em todo o estado. A exposição Arte & Vinho fica até o dia 3 de outubro na Montmartre, em três espaços voltados ao puro amor à arte produzida em Teresina. Espero vocês para conferir as obras e respirar arte conosco!

artistas-arte-e-vinho
O Vernissage reuniu importantes artistas que produzem em Teresina (Foto: Arquivo pessoal)

Vamos às dicas de hoje?

Na Montmartre até o dia 3 de outubro: Exposição Arte e Vinho e a Primeira Mostra Internacional de Arte.

Exposição “Desmobília”, de Cícero Manoel: Até o dia 20 de outubro no Terra Siena Galeria de Arte.




16 de Outubro de 2017 às 00:10

As contribuições de Fayga Ostrower para a Arte


Hello! How are you? Hoje vamos falar sobre uma figura muito importante para o mundo das artes: Fayga Ostrower. É sempre um prazer falar sobre mulheres na Arte e suas contribuições. Pintora, desenhista, gravadora, ilustradora, teórica da arte e professora, Fayga Ostrower nasceu na Polônia em 1920 e veio para o Brasil em 1934, onde cursou Artes Gráficas na Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Artista de enorme versatilidade e um acervo grandioso, Fayga passou pelo abstracionismo no início dos anos 1950, trabalhou com aquarela e expressou sua arte também em xilogravura e gravuras em metal. Em seus trabalhos com gravura, Fayga representou figuras femininas, muitas relacionadas à maternidade.

maternidade-fayga
Maternidade, 1950, linóleo sobre papel (Imagem: Reprodução)

 

É importante ressaltar a contribuição de Fayga Ostrower para a educação artística e disseminação de conhecimentos sobre as artes. Além de ter vários livros publicados, artista realizou cursos para operários e centros comunitários assim como palestras em universidades no Brasil e no exterior. Foi presidente da Associação Brasileira de Artes Plásticas entre 1963 e 1966. Na xilogravura, Fayga tem um vasto trabalho, explorando em suas obras a força das cores, como nesta obra:

xilogravura-fayga
Composição abstrata, xilogravura sobre papel, 1957, 21 x 49,5 cm (Imagem: Reprodução)

 

A artista realizou gravuras figurativas com linguagem expressionista e temas sociais, como Lavadeiras (1947):

lavadeiras-fayga
Lavadeiras, 1947 (Imagem: Reprodução)

 

Fayga participou de centenas de exposições, entre individuais e coletivas e recebeu importantes prêmios como o Grande Prêmio Nacional de Gravura da Bienal de São Paulo (1957) e o Grande Prêmio Internacional da Bienal de Veneza (1958)

No mês de setembro relembramos o falecimento dessa importante artista, estudiosa das artes e educadora, certamente uma forte representação feminina na Arte. Fagya Ostrower falaceu em 13 de setembro de 2001, no Rio de Janeiro.

No site do Instituto Fayga Ostrower, destinado à preservação de sua obra, é possível encontrar informações sobre a artista e uma variedade enorme de seus trabalhos, organizados pelo ano de criação. Vale a pena conferir clicando aqui

Vamos às dicas de hoje?

Você encontra obras de Fayga Ostrawer nos locais listados neste endereço: http://faygaostrower.org.br/museus

Montmartre Arte e Galeria reúne obras de mais de 30 artistas que produzem em Teresina: a exposição Arte&Vinho vai até o dia 3 de outubro.

 




16 de Outubro de 2017 às 00:10

Vamos falar sobre pinturas gigantes?


Salut! Como estão? No post de hoje iremos viajar para diversos lugares para conhecer as maiores pinturas pelo mundo! Grandiosas não apenas pela sua técnica, essas pinturas se destacam por serem feitas em superfícies gigantes, levando a arte para além das telas. Hoje trago para vocês três formas diferentes de grandes pinturas.

E por que não começar falando de Michelangelo? Afinal, temos um exemplo de arte grandiosa, no trabalho feito pelo pintor na Capela de Sistina do Vaticano. Uma das maiores obras de arte da história, os afrescos de Michelangelo levaram quatro anos (1508-1512) para serem pintados e até hoje impressionam a todos pela beleza e grandiosidade. Afresco é uma técnica em que a pintura é feita sobre uma argamassa de cal e areia. Michelangelo era em primeiro lugar escultor, mas aceitou o pedido do Papa Julio II, este um apaixonado pelas artes. Assim, Ele pintou praticamente sozinho 680 metros quadrados para decorar a Capela de Sistina. O resultado a história nos mostra: são 5 milhões de visitantes por ano, para ver as belíssimas imagens bíblicas pelas mãos e criatividade de Michelangelo.

A arte na Capela Sistina atrai milhões de pessoas por ano (Imagem: Reprodução) 

 Outra forma de se encontrar enormes pinturas são os painéis. Aqui destaco os painéis “Guerra e Paz”, do pintor brasileiro Cândido Portinari.  As obras ficam na sede das Nações Unidas, em Nova York e tem aproximadamente 14m x 10m. O primeiro painel se refere à guerra, o sentimento das pessoas nesses momentos de sofrimento, utilizando cores sóbrias, dando um aspecto mais sombrio. O segundo se destina à paz, retratando a tranquilidade e a alegria com tons claros e amenos, contrastando com a guerra. Os painéis foram pintados em nove meses e teve quatro anos de estudos preparatórios.

Os painéis Guerra e Paz, de Cândido Portinari (Imagem: Reprodução)

Pinturas gigantes são muito famosas por também se encontrarem nas ruas. É o chamado Street Art. Além de grandes painéis e pinturas feitas em prédios e outras construções, no Street Art podemos ainda encontrar outra característica fantástica: a pintura em 3D. Feitas em locais públicos, essas pinturas possuem uma técnica tão fascinante que consegue “enganar” a visão daqueles que as observam, trazendo parte de um mundo diferente para as ruas de uma cidade. Não tem como não parar para olhar de perto. Muitas dessas pinturas podem ser encontradas no site Street Art Utopia, um projeto que reúne fotos de grandes pinturas que podem ser encontradas nas ruas do mundo inteiro.

As pinturas 3D em ruas impressionam a qualquer pessoa que passa (Imagem: Reprodução)

Aqui no Brasil, o artista paulista Eduardo Kobra é responsável por criar incríveis pinturas em muros e edifícios, tem murais imensos espalhados por mais de 20 países. Hoje ele é dono do recorde de maior mural do mundo pintado por um único artista: 2,6 mil metros quadrados. A obra fica no Brasil e foi pintada especialmente para as Olimpíadas do Rio 2016. A obra foi pintada em 40 dias e fica no Boulevard Olimpico, no Rio de Janeiro, como já comentamos aqui no Artlife (confira aqui).

Mural de Eduardo Kobra no Rio de Janeiro (Imagem: Reprodução)

Como dica de hoje, recomendo a todos conferirem a palestra da historiadora Elizabeth Lev sobre a Capela Sistina, clicando aqui 

Museu do Piauí – Casa de Odilon Nunes participa da 11ª Primavera dos Museus – Programação de 20 a 22 de setembro.

Exposição Arte&Vinho, com 28 artistas que produzem em Teresina. De 22 de setembro a 3 de outubro na Montmartre Arte e Galeria




16 de Outubro de 2017 às 00:10

Conhecendo o Art Nouveau


Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)Detalhes da casa-estúdio de Victor Horta (Imagem: Reprodução)Hello! How are you? O assunto de hoje é Art Nouveau, um estilo artístico que se desenvolveu entre 1980 e a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). O termo é francês e significa “arte nova”. Difundido principalmente na Europa, o Art Nouveau posteriormente se tornou internacional. Mas em que consiste esse estilo? Ele surgiu com a busca de adequar a arte às mudanças trazidas pela sociedade industrial na época. Dessa forma, ele trabalhava a massificação da arte com os processos industriais, a valorização do conhecimento racional e a oposição ao historicismo.

É importante destacar que o Art Nouveau se desenvolveu bastante na arquitetura, no design, nas artes decorativas e em áreas como a produção de móveis. Destaca-se o uso de materiais como o cimento, o vidro, e o ferro, por exemplo. Como características do estilo temos o uso das expressões sentimentais, temas ligados à natureza e a figura feminina sendo representada na arte, como no trabalho de Alfons Maria Mucha, pintor, designer e ilustrador checo, um dos principais representantes do Art Nouveau. A representação da mulher é forte em suas obras.

Princesse Hyacinthe– Alfons Maria Mucha - 1911 (Imagem: Reprodução)


O pioneiro do Art Nouveau na arquitetura foi o projetista e arquiteto belga Victor Horta. Ele serviu de influência para muitos arquitetos na época. Ele utilizava em seus interiores materiais característicos do estilo que citamos anteriormente, como o vidro, o ferro e a madeira.

Detalhes da casa-estúdio de Victor Horta (Imagem: Reprodução)


No Brasil, o Art Nouveau é representado principalmente na arquitetura e na pintura decorativa. O edifício Vila Penteado, localizado na cidade de São Paulo, é um dos maiores símbolos do Art Nouveau no Brasil, projetado pelo arquiteto sueco Carlos Ekman (1866-1940). Construído em 1902 para duas famílias importantes na época, hoje o edifício pertence à Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo (USP)

Edifício Vila Penteado, em São Paulo (Imagem: Reprodução)


Outra manifestação de Art Nouveau está presente nas charmosas entradas do Metrô de Paris, desenvolvidas nesse estilo pelo arquiteto francês Hector Germain Guimard (1867-1942). A arquitetura é inspirada em elementos na natureza e ele faz o uso de telhados de vidro em algumas das entradas.

Art Nouveau nas entradas de metrô em Paris (Imagem: Reprodução)

Muitas das entradas de metrô em Paris preservam esse estilo até hoje, e ele pode ser encontrado também em Montreal, no Canadá, pois uma entrada feita por Hector Germain Guimard foi doada de Paris para aquela cidade.

Vamos às nossas dicas de hoje!

Primeira Mostra Internacional de Arte, na Montmartre Arte e Galeria. A exposição tem entrada gratuita e vai até o dia 25 de setembro.

Casa da Cultura de Teresina recebe a exposição "Teresina Réa Feia", de autoria do artista plástico Avelar Amorim. São 30 aquarelas sendo expostas com o intuito de valorizar a cidade de Teresina. A exposição é aberta ao público e vai até o dia 30 de setembro.




Sobre mim


Gina Castelo Branco

Sou formada em Letras/Inglês (UESPI) e em Direito (NOVAUNESC), apaixonada pela arte desde a infância e no meu íntimo sempre acreditei plenamente em minha capacidade pintar... Leia mais.



© Copyright ClubeSAT 2017. Todos os direitos reservados.