buscado recentemente


Onconutri

Socorro Coelho


Onconutri destaca desafios no Dia Mundial da Alimentação


Hoje nosso blog nos faz refletir sobre a alimentação mundial e o quadro de fome que muitos passam em nosso planeta. Enquanto que  algumas  pessoas  ficam divididas ao consumirem  alimentos ricos em gorduras, pobres em nutrientes como fast food, alimentos  enlatados e industrializados,  ou uma alimentação com frutas e verduras, uma grande maioria  da população não tem acesso  a nenhum tipo de alimentação, ou seja, convivem com o que chamamos de INSEGURANÇA ALIMENTAR. Mas de fato o que ela representaria?

Podemos dizer que  a INSEGURANÇA ALIMENTAR  é a falta de disponibilidade e o acesso das pessoas ao alimento. 

O Dia Mundial da Alimentação, hoje comemorado, que teve início em 1981, é atualmente celebrado em mais de 150 países como uma importante data para consciencializar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação. Também com o intuito de conscientizar sobre as questões relacionadas com a nutrição e alimentação,  chamar atenção para a produção agrícola em todos os países, estimular a cooperação econômica e técnica entre os países em desenvolvimento, além de promover o sentimento de solidariedade nacional e internacional na luta contra a fome, a desnutrição e a pobreza.

Nos últimos anos a população passou a ter acesso à alimentos de valor nutritivo baixo, contaminados pelo uso abusivo de agrotóxicos, esse hábito alimentar da população vem provocando um aumento desordenado na utilização do sistema de saúde pública como um todo, deixando cada vez mais as pessoas em risco para adquirir doenças como: obesidade, hipertensão, diabetes, acidente , anemia e hipovitaminose A, iodação do sal, entre outras.

Portanto, Todos devemos ter acesso a alimentação SAUDÁVEL em quantidade e qualidade com  todos os nutrientes , vitaminas, fibras, minerais  necessários ao nosso organismo.

Para comemorar esta data hoje teremos um VII FÓRUM SEGURANÇA ALIMENTAR NUTRICIONAL   E NUTRICIONAL com o tema: “ Alimentação e Câncer” com palestras educativas no auditório na UNINOVAPI  a partir das 14:30. Inscreva-se pelo site do fórum. As inscrições são gratuitas.

Um abraço a todos! Até a próxima.




Dieta Cetogênica e o Câncer


A dieta cetogênica é rica  em lipídios , moderada  em proteínas e pobre em carboidratos. Inicialmente foi usada nos Estados Unidos por pessoas acometidas por epilepsias de difícil controle medicamentoso, hoje o seu uso está sendo discutido em várias doenças, dentre eles o câncer. Mas de fato quais  seriam os benefícios desse novo tipo de dieta? E quais seriam as evidências da dieta cetogênica e o câncer?

Esta dieta vem ganhando fama nas redes sociais devido a rápida perda de peso que ela promove, em consequência de um baixo consumo de carboidratos, que é a principal fonte de energia para o organismo. 

E a relação desta dieta com o câncer será que traria beneficios? O que dizem os estudos?

Muitos pessoas na esperança da cura do Câncer recorrem a “tratamentos alternativos” e buscam na internet informações que muitas vezes não tem fundamentos científicos. Devemos estar atentos e procurar auxílio dos profissionais de saúde que trabalhem diretamente com esses tipos de patologias.

Recentemente em Netherlands no Congresso do ESPEN (The  European Society for Clinical Nutrition and metabolism), um estudo esclareceu que a dieta cetogênica traz mais danos à saúde  das pessoas que estão com câncer do que benefícios.O estudo mostou inúmeros efeitos colaterais: Depleção do estado nutricional, aumento de náuseas e vômitos, e aumento a chance de morte. Não existindo portanto nehuma evidência clínica comprovada. Pessoas que fazem uso desse tipo de dieta perdem mais de 15% do peso como perdeu o jornalista Marcelo Rezende que abandonou o tratamento, e o tempo de vida é em torno de  04 meses, praticamente o tempo que viveu Marcelo Rezende depois do diagnóstico.

Por fim, o estudo concluiu que a dieta cetogênica somente em casos específicos como gliobastomas em que os pacientes apresentam epilepsia poderiam apresentar algum benefício, mas que mais estudos científicos em humanos precisariam ser feitos.




A importância da Atividade física na prevenção e no tratamento Oncológico


O câncer é uma das doenças que mais tem crescido nestes últimos anos, e hoje é considerado um problema de saúde pública. Várias são suas causas dentre elas: A hereditariedade, alimentação incorreta, vírus e bactérias, tabagismo, sedentarismo, dentre tantas outras. A nossa vida corrida e a “falta de tempo” têm resultado cada vez no consumo de alimentos “prontos para o consumo” cheio de conservantes, edulcorantes, gorduras saturadas aliadas    cada vez mais ao comodismo e falta de atividades físicas.

Sabe-se que os benefícios da atividade física são inúmeros desde a melhoria da flexibilidade muscular, controle do peso, da hipertensão, benefícios psicológicos como também na prevenção de várias doenças: Cardiovasculares, obesidade, diabetes, câncer dentre outras.

Recentemente, a SBNO (Sociedade Brasileira de Nutrição Oncológica), publicou um artigo da especialista em nutrição Oncológica Henriqueta Vieira van Keulen - Juiz deFora/MG em quea mesma faz referência dos benefícios da atividade física na prevenção e durante o tratamento.

O artigo destaca que após diagnóstico e início do tratamento, alguns quimioterápicos são associados ao aparecimento de sintomas como fadiga, fraqueza, náuseas, etc. (INCA, 2015), influenciando negativamente na qualidade de vida do paciente. Mas a prática da atividade física realizada durante e após o tratamento parece causar efeitos benéficos sobre uma série de fatores físicos e psicossociais (BUFFART et al., 2014; MENESES-ECHAVEZ et al., 2015).        

Entretanto, para que o exercício físico atue como otimizador da qualidade de vida, sugere-se que a atividade física faça parte integral e contínua dos cuidados, devendo ser prescrita individualmente, considerando o estado físico geral, o grau de sarcopenia e caquexia em que o paciente se encontra (BUFFART et al., 2014; CASTRO FILHA et al., 2016).

A nutricionista finaliza o artigo dizendo que   mais estudos sejam realizados para que se possa melhorar a eficácia e eficiência da atividade física sobre os resultados de saúde em sobreviventes do câncer.

 

Uma boa leitura a todos!




Onconutri explica sobre alimentação e o câncer de colo de útero


Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA),  o câncer de colo de útero, é causado  por uma infecção persistente de  alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano -  HPV. A infecção genital por este vírus é muito frequente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que poderão evoluir para o câncer,  estas alterações das células são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso é importante a  realização periódica deste exame.

É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Vários são os fatores riscos que podem levar ao câncer de colo de útero. Veja os principais que a ONCONUTRI  destacou:

Tabagismo:  O cigarro contribui para   o aumento do número de casos de câncer de colo de útero. Fumarexpõe o corpo a muitos produtos químicos cancerígenos que afetam outros órgãos além dos pulmões. Estas substâncias prejudiciais são absorvidas pelos pulmões e transportadas na corrente sanguínea por todo o corpo, além do que fumar torna as defesas do sistema imunológico menos eficazes no combate a infecções pelo HPV.

 

Alimentação: Uma dieta pobre em frutas e verduras e rica em alimentos industrializados, expõe as mulheres ao risco aumentado de desenvolver câncer de colo de útero.

 

Sobrepeso e Obesidade: Mulheres com peso  fora do padrão da normalidade  estão mais propensas a desenvolver adenoma carcinoma de colo uterino.

 

Infecção por Clamídia. A Clamídia é um tipo relativamente comum de bactéria, transmitida pelo contato sexual, que pode infectar o sistema reprodutivo. Esta infecção pode causar inflamação pélvica, levando a infertilidade. A infecção por clamídia geralmente não provoca sintomas nas mulheres. 

As principais opções de tratamento para o câncer de colo do útero são: cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo, que podem ser realizados isoladamente ou em combinação, dependendo do estágio da doença.

Essas foram algumas orientações dessa semana da Onconutri espero que tenham gostado!! Boa Leitura!




Onconutri: Por que é tão importante ler o rótulo das embalagens?


Você costuma ler os rótulos das embalagens? Se a resposta for NEGATIVA,  então está na hora de parar e observar que esse é um detalhe que faz toda a diferença na hora das compras. Mas afinal o que é um RÓTULO?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é toda inscrição, legenda e imagem impressa na embalagem de um alimento. Ao ler os rótulos dos produtos o consumidor tem uma ideia do que está sendo consumido, e quais ingredientes estão  prescritos em sua composição.

No entanto, nem todo mundo entende  as informações descritas na embalagem, então para  facilitar  a difícil  compreensão , a ONCONUTRI  sugere algumas DICAS  fornecidas pelo Instituto brasileiro de defesa do consumidor ( IDEC):

 

1-LEIA A LISTA DE INGREDIENTES

Como é importante ler por completo a lista dos ingredientes. Ela é organizada por ordem decrescente, ou seja o primeiro item  é o que está presente em maior quantidade e o último, em menor quantidade .Assim evite aqueles que contenham açúcares ou sódio entre os primeiros ingredientes da lista.

 

2- CONFIRA AS PORÇÕES NA TABELA NUTRICIONAL 

A  quantidade de nutrientes indicada na tabela nutricional refere-se a uma porção  do produto, e na grande maioria das vezes, não é necessariamente  o conteúdo total da embalagem. É bom esclarecer que uma porção pode ser: Uma colher de sopa, uma xícara por exemplo.

 

3-VERIFIQUE AS PORCENTAGENS DOS VALORES DIÁRIOS (%VD) 

Você sabe o que significa esta expressão tão comum nas embalagens?

O valor diário ou simplesmente (%VD), refere-se ao quanto  teor dos nutrientes presentes na porção representa, percentualmente da quantidade máxima recomendada pelo Ministério da Saúde para ingestão por dia.

EX: Se na embalagem tem o item sódio 20% na indicação de % VD , significa que a porção contem 20% da quantidade sódio recomendada para consumo em  um dia inteiro. Mas todo cuidado é pouco, pois geralmente  o % VD é calculado  baseado em adultos saudáveis. 

Uma atenção especial deve ser dada ao % de VD de calorias, gordura saturada, e sódio. Quanto maior for o %VD, MENOS saudável será o alimento. No caso de FIBRAS, cujo consumo é DESEJÁVEL , vale o contrário.

 

4- VERIFIQUE O PRAZO DE VALIDADE 

O prazo de validade deve indicar o dia  e mês de VENCIMENTO   quando for inferior a três meses da data de fabricação. Caso seja superior, pode ser  informado apenas o mês e ano de validade. A origem do produto é outra informação importante. Através dela, é possível dela verificar onde ele foi fabricado e , dessa forma, valorizar a produção local.

 

5- FIBRAS, MINERAIS E VITAMINAS: FIQUE DE OLHO 

São nutrientes importantes para boa saúde. Entretanto, deve-se  ter um olhar crítico: Um alimento com muitas vitaminas, calorias e gorduras deixa de  ser  saudável. Não faça com que  a mídia influencie  você, observe com bastante cuidado a  composição total de cada produto que você for consumir, AFINAL  sua SAÚDE está em primeiro lugar!!!

 

Fonte: Idec

Boa leitura a todos!!

 





Veja mais
Socorro Coelho


19 de Outubro de 2017 às 14:44

Onconutri destaca desafios no Dia Mundial da Alimentação


Hoje nosso blog nos faz refletir sobre a alimentação mundial e o quadro de fome que muitos passam em nosso planeta. Enquanto que  algumas  pessoas  ficam divididas ao consumirem  alimentos ricos em gorduras, pobres em nutrientes como fast food, alimentos  enlatados e industrializados,  ou uma alimentação com frutas e verduras, uma grande maioria  da população não tem acesso  a nenhum tipo de alimentação, ou seja, convivem com o que chamamos de INSEGURANÇA ALIMENTAR. Mas de fato o que ela representaria?

Podemos dizer que  a INSEGURANÇA ALIMENTAR  é a falta de disponibilidade e o acesso das pessoas ao alimento. 

O Dia Mundial da Alimentação, hoje comemorado, que teve início em 1981, é atualmente celebrado em mais de 150 países como uma importante data para consciencializar a opinião pública sobre questões relativas à nutrição e à alimentação. Também com o intuito de conscientizar sobre as questões relacionadas com a nutrição e alimentação,  chamar atenção para a produção agrícola em todos os países, estimular a cooperação econômica e técnica entre os países em desenvolvimento, além de promover o sentimento de solidariedade nacional e internacional na luta contra a fome, a desnutrição e a pobreza.

Nos últimos anos a população passou a ter acesso à alimentos de valor nutritivo baixo, contaminados pelo uso abusivo de agrotóxicos, esse hábito alimentar da população vem provocando um aumento desordenado na utilização do sistema de saúde pública como um todo, deixando cada vez mais as pessoas em risco para adquirir doenças como: obesidade, hipertensão, diabetes, acidente , anemia e hipovitaminose A, iodação do sal, entre outras.

Portanto, Todos devemos ter acesso a alimentação SAUDÁVEL em quantidade e qualidade com  todos os nutrientes , vitaminas, fibras, minerais  necessários ao nosso organismo.

Para comemorar esta data hoje teremos um VII FÓRUM SEGURANÇA ALIMENTAR NUTRICIONAL   E NUTRICIONAL com o tema: “ Alimentação e Câncer” com palestras educativas no auditório na UNINOVAPI  a partir das 14:30. Inscreva-se pelo site do fórum. As inscrições são gratuitas.

Um abraço a todos! Até a próxima.




19 de Outubro de 2017 às 00:26

Dieta Cetogênica e o Câncer


A dieta cetogênica é rica  em lipídios , moderada  em proteínas e pobre em carboidratos. Inicialmente foi usada nos Estados Unidos por pessoas acometidas por epilepsias de difícil controle medicamentoso, hoje o seu uso está sendo discutido em várias doenças, dentre eles o câncer. Mas de fato quais  seriam os benefícios desse novo tipo de dieta? E quais seriam as evidências da dieta cetogênica e o câncer?

Esta dieta vem ganhando fama nas redes sociais devido a rápida perda de peso que ela promove, em consequência de um baixo consumo de carboidratos, que é a principal fonte de energia para o organismo. 

E a relação desta dieta com o câncer será que traria beneficios? O que dizem os estudos?

Muitos pessoas na esperança da cura do Câncer recorrem a “tratamentos alternativos” e buscam na internet informações que muitas vezes não tem fundamentos científicos. Devemos estar atentos e procurar auxílio dos profissionais de saúde que trabalhem diretamente com esses tipos de patologias.

Recentemente em Netherlands no Congresso do ESPEN (The  European Society for Clinical Nutrition and metabolism), um estudo esclareceu que a dieta cetogênica traz mais danos à saúde  das pessoas que estão com câncer do que benefícios.O estudo mostou inúmeros efeitos colaterais: Depleção do estado nutricional, aumento de náuseas e vômitos, e aumento a chance de morte. Não existindo portanto nehuma evidência clínica comprovada. Pessoas que fazem uso desse tipo de dieta perdem mais de 15% do peso como perdeu o jornalista Marcelo Rezende que abandonou o tratamento, e o tempo de vida é em torno de  04 meses, praticamente o tempo que viveu Marcelo Rezende depois do diagnóstico.

Por fim, o estudo concluiu que a dieta cetogênica somente em casos específicos como gliobastomas em que os pacientes apresentam epilepsia poderiam apresentar algum benefício, mas que mais estudos científicos em humanos precisariam ser feitos.




19 de Outubro de 2017 às 12:30

A importância da Atividade física na prevenção e no tratamento Oncológico


O câncer é uma das doenças que mais tem crescido nestes últimos anos, e hoje é considerado um problema de saúde pública. Várias são suas causas dentre elas: A hereditariedade, alimentação incorreta, vírus e bactérias, tabagismo, sedentarismo, dentre tantas outras. A nossa vida corrida e a “falta de tempo” têm resultado cada vez no consumo de alimentos “prontos para o consumo” cheio de conservantes, edulcorantes, gorduras saturadas aliadas    cada vez mais ao comodismo e falta de atividades físicas.

Sabe-se que os benefícios da atividade física são inúmeros desde a melhoria da flexibilidade muscular, controle do peso, da hipertensão, benefícios psicológicos como também na prevenção de várias doenças: Cardiovasculares, obesidade, diabetes, câncer dentre outras.

Recentemente, a SBNO (Sociedade Brasileira de Nutrição Oncológica), publicou um artigo da especialista em nutrição Oncológica Henriqueta Vieira van Keulen - Juiz deFora/MG em quea mesma faz referência dos benefícios da atividade física na prevenção e durante o tratamento.

O artigo destaca que após diagnóstico e início do tratamento, alguns quimioterápicos são associados ao aparecimento de sintomas como fadiga, fraqueza, náuseas, etc. (INCA, 2015), influenciando negativamente na qualidade de vida do paciente. Mas a prática da atividade física realizada durante e após o tratamento parece causar efeitos benéficos sobre uma série de fatores físicos e psicossociais (BUFFART et al., 2014; MENESES-ECHAVEZ et al., 2015).        

Entretanto, para que o exercício físico atue como otimizador da qualidade de vida, sugere-se que a atividade física faça parte integral e contínua dos cuidados, devendo ser prescrita individualmente, considerando o estado físico geral, o grau de sarcopenia e caquexia em que o paciente se encontra (BUFFART et al., 2014; CASTRO FILHA et al., 2016).

A nutricionista finaliza o artigo dizendo que   mais estudos sejam realizados para que se possa melhorar a eficácia e eficiência da atividade física sobre os resultados de saúde em sobreviventes do câncer.

 

Uma boa leitura a todos!




19 de Outubro de 2017 às 05:41

Onconutri explica sobre alimentação e o câncer de colo de útero


Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA),  o câncer de colo de útero, é causado  por uma infecção persistente de  alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano -  HPV. A infecção genital por este vírus é muito frequente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que poderão evoluir para o câncer,  estas alterações das células são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso é importante a  realização periódica deste exame.

É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Vários são os fatores riscos que podem levar ao câncer de colo de útero. Veja os principais que a ONCONUTRI  destacou:

Tabagismo:  O cigarro contribui para   o aumento do número de casos de câncer de colo de útero. Fumarexpõe o corpo a muitos produtos químicos cancerígenos que afetam outros órgãos além dos pulmões. Estas substâncias prejudiciais são absorvidas pelos pulmões e transportadas na corrente sanguínea por todo o corpo, além do que fumar torna as defesas do sistema imunológico menos eficazes no combate a infecções pelo HPV.

 

Alimentação: Uma dieta pobre em frutas e verduras e rica em alimentos industrializados, expõe as mulheres ao risco aumentado de desenvolver câncer de colo de útero.

 

Sobrepeso e Obesidade: Mulheres com peso  fora do padrão da normalidade  estão mais propensas a desenvolver adenoma carcinoma de colo uterino.

 

Infecção por Clamídia. A Clamídia é um tipo relativamente comum de bactéria, transmitida pelo contato sexual, que pode infectar o sistema reprodutivo. Esta infecção pode causar inflamação pélvica, levando a infertilidade. A infecção por clamídia geralmente não provoca sintomas nas mulheres. 

As principais opções de tratamento para o câncer de colo do útero são: cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo, que podem ser realizados isoladamente ou em combinação, dependendo do estágio da doença.

Essas foram algumas orientações dessa semana da Onconutri espero que tenham gostado!! Boa Leitura!




19 de Outubro de 2017 às 11:16

Onconutri: Por que é tão importante ler o rótulo das embalagens?


Você costuma ler os rótulos das embalagens? Se a resposta for NEGATIVA,  então está na hora de parar e observar que esse é um detalhe que faz toda a diferença na hora das compras. Mas afinal o que é um RÓTULO?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é toda inscrição, legenda e imagem impressa na embalagem de um alimento. Ao ler os rótulos dos produtos o consumidor tem uma ideia do que está sendo consumido, e quais ingredientes estão  prescritos em sua composição.

No entanto, nem todo mundo entende  as informações descritas na embalagem, então para  facilitar  a difícil  compreensão , a ONCONUTRI  sugere algumas DICAS  fornecidas pelo Instituto brasileiro de defesa do consumidor ( IDEC):

 

1-LEIA A LISTA DE INGREDIENTES

Como é importante ler por completo a lista dos ingredientes. Ela é organizada por ordem decrescente, ou seja o primeiro item  é o que está presente em maior quantidade e o último, em menor quantidade .Assim evite aqueles que contenham açúcares ou sódio entre os primeiros ingredientes da lista.

 

2- CONFIRA AS PORÇÕES NA TABELA NUTRICIONAL 

A  quantidade de nutrientes indicada na tabela nutricional refere-se a uma porção  do produto, e na grande maioria das vezes, não é necessariamente  o conteúdo total da embalagem. É bom esclarecer que uma porção pode ser: Uma colher de sopa, uma xícara por exemplo.

 

3-VERIFIQUE AS PORCENTAGENS DOS VALORES DIÁRIOS (%VD) 

Você sabe o que significa esta expressão tão comum nas embalagens?

O valor diário ou simplesmente (%VD), refere-se ao quanto  teor dos nutrientes presentes na porção representa, percentualmente da quantidade máxima recomendada pelo Ministério da Saúde para ingestão por dia.

EX: Se na embalagem tem o item sódio 20% na indicação de % VD , significa que a porção contem 20% da quantidade sódio recomendada para consumo em  um dia inteiro. Mas todo cuidado é pouco, pois geralmente  o % VD é calculado  baseado em adultos saudáveis. 

Uma atenção especial deve ser dada ao % de VD de calorias, gordura saturada, e sódio. Quanto maior for o %VD, MENOS saudável será o alimento. No caso de FIBRAS, cujo consumo é DESEJÁVEL , vale o contrário.

 

4- VERIFIQUE O PRAZO DE VALIDADE 

O prazo de validade deve indicar o dia  e mês de VENCIMENTO   quando for inferior a três meses da data de fabricação. Caso seja superior, pode ser  informado apenas o mês e ano de validade. A origem do produto é outra informação importante. Através dela, é possível dela verificar onde ele foi fabricado e , dessa forma, valorizar a produção local.

 

5- FIBRAS, MINERAIS E VITAMINAS: FIQUE DE OLHO 

São nutrientes importantes para boa saúde. Entretanto, deve-se  ter um olhar crítico: Um alimento com muitas vitaminas, calorias e gorduras deixa de  ser  saudável. Não faça com que  a mídia influencie  você, observe com bastante cuidado a  composição total de cada produto que você for consumir, AFINAL  sua SAÚDE está em primeiro lugar!!!

 

Fonte: Idec

Boa leitura a todos!!

 




Sobre mim


© Copyright ClubeSAT 2017. Todos os direitos reservados.