buscado recentemente

Déficit na Previdência deve chegar a mais de R$ 2 bilhões


Estado do Piauí procura soluções aumentado impostos e com empréstimos, mas número crescente de aposentadorias só aumentam o rombo, que fecha este ano em R$ 1 bilhão; previsão é ainda pior para os próximos quatro anos


O déficit da Previdência no Estado é algo que não parece ter conseguido a verdadeira atenção que deve ter. O Estado tem procurado maneiras como a criação de uma Superintendência específica para gerir o problema, e chegou a encaminhar projeto de lei para Assembleia Legislativa que aumenta impostos no Estado, numa tentativa de minimizar o rombo.

O problema, mesmo com as ações, continua crescente. Na manhã desta quarta-feira (11), durante reunião com empresários para debater implementação de novos impostos, o secretário de Fazenda do Estado, Rafael Fonteles, afirmou que os números serão muito pior, podendo chegar a mais de R$ 2 bilhões nos próximos anos.

Secretário aponta que número pode ultrapassar R$ 2 bilhões. (Fotos: Roberta Aline) 

“É um número crescente, depende das pessoas que vão se aposentar nesse mês, no próximo mês, no seguinte. E esse déficit vai chegar a dois bilhões ou mais daqui a quatro ou cinco anos”, afirma o secretário.

O número de aposentadorias aptas no Estado preocupa ainda mais. Segundo Rafael, há hoje pelo menos 10 mil servidores prontos para deixar o trabalho, o que faria esse déficit pular milhões em pouco tempo.

Ele explica também que a contribuição patronal e do próprio trabalhador não são suficientes para cobrir o valor pago em aposentadorias e que por isso o déficit tende a crescer.

Reunião debateu aplicação de novos modelos de impostos no Estado. (Foto: Robeta Aline)

“O déficit é uma defesa que tem a ver com as regras da Previdência. Muitos servidores ganharam tempo de se aposentar, mas em determinado tempo chegou a hora dessa aposentadoria e a contribuição laboral e patronal não suficiente nem para a metade do valor da folha. Quem está pagando a diferença entre as contribuições e a folha são os contribuintes”, completa Rafael.

Sobre a atuação do governo na tentativa de minimizar o impacto, o secretário garante que há cortes em custeio da máquina pública e de despesas, mas que aguarda uma formalização federal sobre o assunto.

“Estamos tentando acompanhar, cortando custeio, tirando despesas não essenciais e diminuindo nominalmente o custeio em relação aos anos passados e anteriores. E aguardando uma modificação na legislação federal a respeito”, conclui.

Deputado Luciano Nunes debate problema de uso de empréstimos na Previdência. (Foto: Roberta Aline)

Empréstimos para Previdência

O deputado Luciano Nunes (PSDB), oposição na Assembleia, criticou durante a reunião desta manhã (11) o uso de verbas de empréstimos ativos feitos pelo estado para custeio de obras e outros serviços, no Fundo de Previdência. O artigo 26 do Projeto de Lei que altera a legislação para novos impostos, abre para o uso dos ativos realizados pelo Estado com Bancos.

“É importante o Estado, que gerencia essa questão, apontar o caminho. Mas temos que enfrentar, não jogar só debaixo do tapete penalizando a população, aumentando impostos. Da forma como o artigo está redigido, permite por exemplo, que esse empréstimo da Caixa Econômica, feito para construção de obras, seja usado para o Fundo da Previdência. E na hora de prestar contas? E as obras? Tudo isso tem que ser bem avaliado, para não se dar um cheque em branco”, garantiu o deputado.  





© Copyright ClubeSAT 2017. Todos os direitos reservados.