buscado recentemente

PF investiga elo entre os 51 milhões de Geddel e desvios na Caixa


Segundo o relatório, foram apreendidos documentos suspeitos na casa da mãe do ex-ministro


A Polícia Federal investiga, no âmbito da Operação Tesouro Perdido, o elo entre o bunker dos R$ 51 milhões atribuídos aos irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima e supostos esquemas de corrupção na Caixa Econômica Federal. De acordo com o relatório que o Estado teve acesso, os investigadores apreenderam na ocasião atas da instituição na casa da mãe do ex-ministro, Marluce Quadros Vieira Lima, que também é uma das denunciadas na investigação.

De acordo com o documento, a Caixa liberou R$ 5,8 bilhões em créditos a empresas investigadas. Deste total, R$ 4,4 bilhões foram destinadas a empresas da da holding J&F.

A denúncia à mãe do ex-ministro foi feita em dezembro de 2017 pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, no âmbito da Tesouro Perdido. Geddel, o deputado federal Lúcio Vieira Lima e o empresário Luiz Fernando Machado Costa Filho são acusados associação criminosa e  lavagem de dinheiro.

A PF ainda investiga a origem do dinheiro e um dos caminhos apontados pelos investigadores é o doleiro Lúcio Funaro, que revelou ter levado malas de dinheiro ao emedebista em voos a Salvador, que totalizaram mais de R$ 20 milhões.

De acordo com as investigações, Funaro reconheceu entre os R$ 51 milhões, maços de dinheiro de um banco ligados à J&F. “Lúcio Funaro informou que os valores envoltos em ligas, com um pedaço de papel onde havia impresso o valor constante do maço de dinheiro, era exatamente como retirava o dinheiro dos seus doleiros e repassava para Geddel", afirmou a PF no relatório.

Funaro reconheceu ainda ter operado propina aos emedebistas relativas à negócios da Caixa Econômica Federal. Para a PF, Geddel agia na instituição financeira “para beneficiar empresas com liberações de créditos dentro de sua área de alçada e fornecia informações privilegiadas para os outros membros da organização criminosa que integrava.


Sobre as atas

A PF acredita que as atas encontradas na casa da mãe do ex-ministro podem conter “informações relevantes à investigação” sobre o bunker em Salvador. Em uma das pastas encontradas, há a anotação: "Para a defesa". Os agentes dizem entender que, apesar de encontrada na casa de Marluce, é "nítido" que os documentos são de Geddel.

A PF destaca ainda que "dentre empréstimos, repactuações, e substituição de garantias, o valor global dos valores constantes nas atas encontradas" soma o montante de R$ 28,7 bilhões.





© Copyright ClubeSAT 2017. Todos os direitos reservados.